Um Atlas do corpo humano que mapeia onde sentimos as emoções

A felicidade usa todo o seu corpo, mas a raiva está concentrada em sua cabeça.

Um Atlas do corpo humano que mapeia onde sentimos as emoções

Muitas pessoas sentem emoções em certas partes do corpo - estresse no pescoço ou ansiedade no estômago, talvez felicidade no peito. Como você pode ver no mapa abaixo, a raiva é uma emoção inebriante, enquanto o amor e a felicidade são sentidos de maneira bastante forte. Sentimentos como tristeza e depressão, no entanto, são vivenciados como uma relativa desativação das sensações, em comparação aos estados normais.

É tudo parte do novo e fascinante Atlas Corporal , produzido a partir de pesquisas conduzidas por cientistas finlandeses , que mostra um mapa de calor de onde em nossos corpos podemos esperar que diferentes emoções se manifestem mais.


Para criar o mapa, os pesquisadores mostraram a mais de 700 voluntários várias palavras, histórias, filmes e imagens associadas a diferentes emoções básicas e complexas e pediram que apontassem as regiões do corpo onde sentiam uma atividade crescente e decrescente em reação.



acaso o universo do rapper steven

Seus resultados, relatado no Anais da Academia Nacional de Ciências , produziram mapas de calor consistentes que eram estatisticamente únicos para cada emoção e reproduzíveis entre os participantes, que eram finlandeses, suecos e taiwaneses. A conclusão deles é que as assinaturas emocionais em diferentes partes do corpo são culturalmente universais e estão ligadas a sistemas biológicos, ao invés de desencadeadas pelo que as pessoas aprenderam a pensar com base em frases de linguagem comum, como sentir frio na barriga.

Uma melhor compreensão das sensações corporais associadas às emoções pode ajudar os médicos a tratar melhor os transtornos do humor, como depressão e ansiedade, e até mesmo fornecer melhores maneiras de diagnosticar ou detectar esses problemas.

Os sentimentos emocionais estão associados a mapas de sensações corporais discretos, embora parcialmente sobrepostos, que podem estar no cerne das experiências emocionais, concluem eles. A percepção dessas mudanças corporais desencadeadas pela emoção pode desempenhar um papel fundamental na geração de emoções sentidas conscientemente.