A história por trás da história de carros 2

Como John Lasseter da Pixar cavou na pilha de sucata do primeiro filme Carros a ter a ideia para o novo filme.

Filme carros

Pessoas criativas sabem que nenhuma ideia cortada de um projeto vai para o lixo. Ele apenas fica guardado para algum uso posterior.

Foi o que aconteceu com a história do novo Carros 2 filme, que chega aos cinemas no próximo mês. Em um evento para a imprensa na terça-feira, John Lasseter, diretor de criação da Disney e Pixar - e o diretor do novo filme - explicou que a ideia para o novo enredo veio de uma cena que acabou na sala de edição (digital) durante o primeiro Carros filme.

O primeiro filme, que saiu em 2006, inclui uma cena romântica entre o herói Lightning McQueen e a querida Sally Carrera. Inicialmente, essa cena foi ambientada em um drive-in (entendeu - carros saindo para um encontro em um drive-in?). Na tela do drive-in, disse Lasseter, estava um filme de espionagem estrelado por um carro britânico do tipo James Bond, chamado Finn McMissile.



O Carros a equipe eventualmente levou aquela cena em uma direção diferente, colocando-a em um cruzeiro. Mas quando se tratava de conspirar Carros 2 , Lasseter tirou o pó do filme drive-in, que tinha sido parcialmente apresentado como um filme dentro do filme.

Nunca me esqueci disso e sempre achei que seria muito divertido de fazer, disse Lasseter, acrescentando que ele mesmo é um grande fã de filmes de espionagem. Quando criança, ele disse, O Homem da U.N.C.L.E. era seu programa de TV favorito.

Daí o novo filme: uma história de espionagem ambientada em uma série de corridas ao redor do mundo. Enquanto Relâmpago McQueen, o herói do carro de corrida do primeiro filme, compete nas corridas, Mater, seu balde de ferrugem, ajudante de reboque, se envolve em algum tipo de plano de espionagem internacional, e Finn McMissile (foto acima, à direita) –Um veículo elegante que parece um cruzamento entre um Jaguar e um Aston Martin, liberalmente encharcado com o cool britânico dos anos 1960 e com voz brilhante de Michael Caine – vem ao resgate.

O resto do filme, disse Lasseter, foi inspirado na própria experiência do diretor de viajar ao redor do mundo, fazendo publicidade para o primeiro Carros filme. Enquanto manobrava por cidades estrangeiras, ele se pegou imaginando como os personagens de seu filme teriam reagido às várias culturas de direção, como dirigir no lado errado da estrada na Inglaterra e a atitude casual da Itália em relação às regras de trânsito. O novo filme se passa na Europa e no Japão.

[ Imagens: Pixar ]

E.B. Boyd é o repórter do Vale do Silício da FastCompany.com. Twitter . E-mail .